Notícias >

Saúde da Família promove atendimento domiciliar de prevenção de doenças


Com atuação mais próxima da população, são os profissionais integrantes da Estratégia Saúde da Família (ESF) os responsáveis por prestar um atendimento global e evitar que doenças evoluam para quadros mais graves. Medidas de prevenção e diagnóstico precoce permitem o tratamento de mais de 80% das complicações de saúde sem a necessidade de buscar um hospital.

Problemas crônicos como diabetes e pressão alta recebem atenção dos profissionais da ESF. Além disso, as grávidas também podem ter acesso nesses espaços ao pré-natal. As mulheres em geral, por sua vez, podem realizar os colhimentos de preventivos e inserção de DIU, por exemplo.

A Estratégia Saúde da Família pelo país
Nas clínicas da família, são oferecidas consultas individuais e coletivas; serviços de vacinação; eletrocardiograma; exames de sangue, urina e fezes; ultrassonografias; curativos; e testes rápidos de sífilis e HIV. No campo da prevenção, também são elaboradas ações de controle da dengue e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), tuberculose e hanseníase.

Território
Formada por equipes multiprofissionais – que contam com médico, enfermeiro, auxiliar ou técnico de enfermagem, além do agente comunitário –, a estratégia já chega a quase todo o país. Ao todo, 43,5 mil equipes estão distribuídas em 5,4 mil municípios, o que corresponde a 98,6% do território nacional. Dentistas também compõem os grupos.

Cada equipe deve ser responsável pelo atendimento de até 4 mil pessoas de uma área geográfica delimitada. O objetivo do programa é a proximidade entre agentes e pacientes. Mais do que apenas consultas nos centros de saúde, os profissionais dos grupos também visitam as famílias em suas casas para prestar o serviço mais adequado conforme o contexto de cada um.

Comprovante
Para receber o serviço, é preciso realizar um cadastro no centro de saúde – para isso, é necessário apresentar um comprovante de residência. Assim, as visitas podem ser agendadas. A medida também beneficia pessoas com doenças que limitam os movimentos, que podem receber o tratamento em casa.

Uma vez que as equipes são multiprofissionais, estão aptas a atender pacientes de todas as faixas etárias. Além disso, os grupos levam em conta o contexto social de cada pessoa atendida no momento de definir o tratamento que vise a sua qualidade de vida.

Fonte: Blog da Saúde/Ministério da Saúde