Notícias >

Janeiro Roxo: mês de conscientização e combate à hanseníase

Janeiro é o mês dedicado à conscientização sobre a hanseníase, uma doença infecciosa e contagiosa causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, que provoca manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. No plano mundial, o Brasil está em segundo lugar em número de casos, atrás apenas da Índia.

Por ano, são registrados perto de 30 mil casos em todo país. Cerca de 6% deles acometem crianças e adolescentes, somando aproximadamente 2 mil pacientes. Destes, 7% são diagnosticados com alguma sequela relacionada à doença.

Seguindo regra estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para identificar cada campanha educativa ao longo do ano com uma cor diferente, ficou definido o roxo para janeiro. Neste mês também é comemorado, sempre no último domingo, o Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase.

Sintomas
Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele e possível alteração da sensibilidade. O paciente pode não sentir (ou ter a sensibilidade diminuída) calor, frio, dor e mesmo o toque. É comum ter sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades (pés, mãos) e em algumas áreas pode haver diminuição do suor e de pelos. O paciente pode ter dificuldades para segurar objetos e, por isso, se queimar. Pode ainda, por exemplo, perder os chinelos sem perceber.

Transmissão
A transmissão da hanseníase acontece de pessoas doentes sem tratamento para pessoas saudáveis pelas vias aéreas superiores (tosse, espirro, fala).

Tratamento
Quanto mais cedo iniciar o tratamento, menores são as agressões aos nervos e é possível evitar complicações. Em qualquer estágio da doença, o paciente recebe gratuitamente os medicamentos para ingestão via oral durante 6 meses a 1 ano. A partir do início do tratamento o paciente não transmite mais a doença a familiares, amigos, colegas de trabalho ou escola.

Fique por dentro do assunto:

Fonte: Época